Compartilhe nas redes sociais

CAT promove visita técnica e oficina sobre hidroponia para produtores da região

 Produtores obtiveram conhecimento sobre sistema de produção de hortaliças utilizando técnicas de hidroponia na água e na areia. 

 

Produtores de chácaras de Sorriso e da região de Boa Esperança, que trabalham com o plantio de hortaliças, participaram de uma visita técnica em uma propriedade para conhecer o sistema de hidroponia na areia.

Na oportunidade, os produtores participaram da oficina “Manejo Fitossanitário de Podridão Radicular na Hidroponia”, ministrada pela engenheira agrônoma Cristina Felix e pela zootecnista Andreia Sousa, consultoras do CAT Sorriso. Segundo Cristina, a hidroponia na areia, instalada em bancadas, utiliza um sistema de mangueiras para fazer a irrigação por gotejamento. Essa pode ser uma alternativa viável para os produtores, que já trabalham com o plantio de hortaliças no sistema convencional ou com sistema de hidroponia na água e pretendem migrar para o novo sistema. Os produtores puderam conhecer os detalhes das técnicas de produção e manejo de hortaliças utilizando as técnicas de hidroponia na água e hidroponia na areia, desde a instalação, adubação, irrigação e controle de doenças.

 

 

Vantagens da hidroponia na areia

Cris Felix, engenheira agrônoma e consultora técnica do CAT, destaca que a hidroponia na areia pode ser vantajoso porque é possível amenizar as altas temperaturas, porque a hidroponia na água é muito difícil manter a temperatura ideal, principalmente nas horas mais quentes do dia. “A importância dessa visita, é que os produtores podem verificar in loco como é o trabalho no dia-a-dia, que é diferente do cultivo convencional de hortaliças no solo e fazer a troca de experiência. Apesar de ter suas vantagens, como a demanda menos mão-de-obra, a hidroponia exige sistema de cobertura, não pode ser a céu aberto, por conta da chuva ou dos altos picos de temperatura. E depende de um monitoramento constante”.

A zootecnista do CAT Sorriso, Andreia Sousa relatou que a visita técnica foi realizada para sanar dúvidas de produtores. “Nós fizemos uma primeira visita e vimos que muitos produtores com interesse nesse modelo de produção, tanto a hidroponia na água, quanto a hidroponia na areia, alguns produtores que já estão na atividade estavam com algumas dúvidas, a Lu foi parceira em abrir as portas da sua propriedade. Realizamos essa visita técnica acompanhada de uma oficina onde falamos sobre algumas doenças que podem ocorrer num sistema de hidroponia e conseguimos trazer alguns produtores da MT 242, da Assentamento Jonas Pinheiro e de Boa Esperança.

A zootecnista do CAT Sorriso, Andreia Sousa, relatou que a visita técnica teve como objetivo esclarecer dúvidas dos produtores. “Realizamos algumas visitas e constatamos que muitos produtores estão interessados nesse modelo de produção, tanto na hidroponia em água, quanto na hidroponia em areia. Alguns produtores que já estão envolvidos na atividade tinham algumas dúvidas, e a Luna Hortaliças foi muito parceira ao abrir as portas de sua propriedade. Durante a visita técnica, realizamos também uma oficina onde discutimos sobre algumas doenças que podem surgir em sistemas de hidroponia. Conseguimos trazer alguns produtores da MT 242, do Assentamento Jonas Pinheiro e de Boa Esperança”.

 

Hidroponia na areia como alternativa

 

 

Andreia Sousa salientou quais são os próximos passos “Cada produtor tem suas limitações, como já tem produtores que já estão produzindo, eles vão poder avaliar alternativas, podem criar uma rota diferente do modelo atual de produção. E para aqueles que estão querendo começar nessa área, o CAT vai auxiliar, vai ajudar na escrita de um projeto, vai ver o orçamento, os custos, a viabilidade econômica de um projeto de hidroponia para atender a realidade de cada produtor”.

Muitos produtores demonstraram interesse em investir neste sistema de hidroponia na areia, pois é mais fácil de manejar, embora exija um trabalho em um nível mais elevado.  “Foi muito gratificante participar dessa visita técnica, porque podemos estar num ambiente que a gente tem interesse em trabalhar, é diferente de pesquisar pela internet. Porque a gente tem o contato de quem tem a experiência do dia-a-dia, trocando informação frente a frente com o produtor, pode fazer um bate papo, não somente ver as coisas boas, mas também os problemas que podem acontecer neste sistema de produção. Todos nós produtores crescemos muito com essa parceria com o CAT. Agradecemos a produtora que nos passou informações e partilhou seu conhecimento. É dessa forma que deve ser, um ajudando o outro”. Afirmou Gilmara Ferrari – de Boa Esperança do Norte, que pretende começar a produzir hortaliças e se interessou pela técnica.

Outro produtor, Rudinei Garcia, também ficou bastante satisfeito com a visita. “Gostei muito de conhecer a horta, essa nova técnica de hidroponia na areia, e futuramente, me interesso em investir nessa técnica”.

 

Abrindo as portas para troca de experiências 

 

A proprietária da área, Luciana Vogt (da Luna Hortaliças), que trabalha na propriedade, ao lado do esposo Raimundo Nonato Luna Lima, recebeu os produtores para mostrar como é o trabalho desenvolvido nesse sistema. Ela relatou que foi satisfatório poder mostrar um pouco do seu trabalho e compartilhar conhecimento e experiências com outros produtores ou quem pretende começar a produzir.  “Eu gostei muito de receber a visita tanto quem já é produtor, quanto de quem pretende investir nessa área da hidroponia na areia e começar a atividade e fiquei feliz em partilhar conhecimento sobre a minha horta, mostrar o meu dia-a-dia, falando sobre como é a nossa vida, sobre nossos desafios e o manejo na hidroponia”.

 

Como foi o início da atividade

 

Ela contou que ela e o marido iniciaram no ramo de hortaliças, no ano de 2014, porém, no sistema convencional. “Como todo começo, as coisas são difíceis. Pra gente não foi diferente, passamos por muitas dificuldades. Até que em um dia de chuva muito forte, perdemos toda plantação dos nossos canteiros de alface. Foi o motivo para meu esposo ir atrás de uma nova técnica pra gente melhorar nossa produção. Após dois anos na horta convencional, meu esposo foi atrás de conhecimento e fez um curso de hidroponia à distância na época em DVD e livros. A Internet também foi uma aliada para aprofundar seu conhecimento”.

E deu detalhes de como cresceram na atividade. “Começamos usando canos de irrigação de 50 mm e meu marido furava com a serra cop, assim que as coisas melhoram compramos canos hidropônicos, próprios para hidroponia. Com seis anos de horta conquistamos nossa chácara. Assim que compramos nossa chácara ampliamos nossa hidroponia. Após dois anos que estávamos na nossa chácara, adquirimos nossa primeira estufa padrão (era o nosso sonho desde o começo da nossa jornada na horta). Trabalhamos com a hidroponia na areia há três anos, fomos atrás de conhecimento e cursos e nos apaixonamos pela técnica”.

Sobre a IDH

A Idh é uma organização global que atua para transformar os mercados. A Idh coloca as pessoas, o planeta e o progresso no centro do comércio, mobilizando o poder dos mercados para gerar empregos, rendas e um meio ambiente melhor com equidade de gênero para todos. Para atingir esse objetivo, reúne pessoas nas corporações, no setor financeiro global e nos governos com influência sobre as sobre as cadeias globais de valor para cocriar e coinvestir.

Com sede na Holanda, a Idh tem cerca de 380 funcionários em todo o mundo, operando em 20 países e 12 commodities e regiões de fornecimento, com mais de 1.000 parceiros públicos e privados. Em 13 anos de atuação, Idh gerou mais de 390 milhões de euros em investimentos do setor privado e apoio a novos modelos de negócios impactantes.

O trabalho da Idh é possível graças ao financiamento e à confiança de vários doadores públicos e privados, entre os quais os governos da Holanda e da Suíça e fundações privadas

Para obter mais informações, visite os sites www.idhsustainabletrade.com e www.idhlatam.com ou siga @IDHTrade no Twitter e LinkedIn.

Sobre o CAT Sorriso

O CAT Sorriso é uma associação sem fins lucrativos que reúne produtores rurais e se esforça pelo desenvolvimento tecnológico em harmonia com o meio ambiente. Com 21 anos de atuação, o Clube Amigos da Terra preza pela transparência de suas ações voltadas à preservação do meio ambiente, reconhecendo e valorizando a família do campo, construindo e consolidando trabalhos com resultados comprovados. O CAT Sorriso conta com o apoio da IDH na realização de seus projetos. Para saber mais, acesse: www.catsorriso.org.br.

Assessoria de Comunicação Cat Sorriso

Tâmara Figueiredo | (66) 99995 – 7316| [email protected]

 

12/06/2024

CAT e parceiros promovem oficinas e visitas técnicas para Agricultura Familiar de Sorriso e região

09/06/2024

IFMT e CAT reativam viveiro de mudas nativas

07/06/2024

Apesar dos benefícios, Sistema do Plantio Direto ainda é pouco utilizado em MT

06/06/2024

Sustentabilidade: venda de créditos certificados traz rentabilidade para produtores rurais

03/06/2024

Palestra apresenta como funcionam os Sistemas Agroflorestais (SAF)

31/05/2024

CAT lança Selo de Origem da Agricultura Familiar e livro didático sobre o Agro e o Desenvolvimento de Mato Grosso

Telefone

(66) 3544-3379

Horário de atendimento

Seg - Sex: 7h às 11h | 13h às 17h

Formulário

Preencha os campos e logo após o recebimento nossa equipe entrará em contato.