fbpx
Nalza

Dia Internacional da Agricultura Familiar: o amor que alimenta o Brasil

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no email

A complexa cadeia de alimentos no Brasil é composta por diversos componentes e integrantes, mas sem dúvidas, a principal locomotiva que leva alimento à mesa de milhares de brasileiros nos quatro cantos do país tem nome e sobrenome: Agricultura Familiar, que celebra o seu Dia Internacional neste 25 de julho.

De acordo com levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) 70% dos alimentos consumidos no Brasil vêm de pequenas propriedades como a de Silveira Ferreira dos Santos, que cultiva batata e outras hortaliças, no Assentamento Jonas Pinheiro, em Sorriso, no Mato Grosso.

“Trabalho na terra desde criança, meus pais também eram agricultores, aí eu dei continuidade. A rotina é dura, de plantar e colher. No começo é difícil, mas não podemos desanimar”, afirma Silveira que destina seu plantio para o CEASA da cidade e para as escolas municipais.


Silveira e sua família plantam hortaliças no Assentamento Jonas Pinheiro

Mas, somente o amor pela terra não basta para ter uma produção de qualidade, o esforço do trabalho tem de ser acompanhado com muito planejamento e capacitação. É justamente nesse quesito que entra o CAT Sorriso, uma associação de auxílio aos produtores, cumprindo um papel fundamental na saúde desse ecossistema social.

“Temos aqui consultores especializados, dentro de uma área específica de atendimento a pequenos agricultores, que vão a campo e colocam a mão na massa. O CAT surgiu com esse propósito há quase 20 anos: ajudar os produtores a produzirem mais e melhor, por isso hoje estamos prestando essa homenagem e celebrando a vida dessa importante parcela de nossa sociedade”, afirma a presidente do CAT Sorriso, Dudy Paiva.

Abobrinha, mandioca, frangos, alface, rúcula, limão, goiaba e couve, parece uma descrição de um supermercado qualquer, mas é na verdade o terreno da Nalza Olimpio da Silva, outra agricultora no Assentamento Jonas Pinheiro. “Eu vejo o futuro da agricultura com a gente trabalhando com honestidade e alcançando os objetivos. A ajuda do CAT gera uma expectativa muito boa para viver e colocar comida na mesa”, afirma Nalza, que também tem a agricultura no sangue, os pais também trabalharam na lida do campo.


Nalza se orgulha da Agricultura Familiar

A revolução em curso na agricultura brasileira não movimenta somente as grandes e milionárias cooperações, também alcança os pequenos produtores e deve impactar o dia a dia numa mudança de mentalidade.

“Assim como em qualquer ramo de atividade, a agricultura familiar está passando por um momento de reinvenção, onde a inclusão de novas tecnologias não somente nos processos de cultivo, mas também de comercialização dos produtos”, afirma Marcelo Alexandre Ferreira, Analista de negócios do Sebrae, que trabalha na interlocução dos programas com CAT desde 2015. “A Produção e consumo de alimentos nunca deixará de existir! Mas o perfil dos consumidores está mudando! Procurem as entidades parceiras como o CAT e o Sebrae e aproveitem todos os programas e iniciativas em andamento”, ressalta Marcelo.

O CAT Sorriso tem um intenso trabalho junto aos pequenos produtores, com auxílio, capacitações, treinamentos, palestras e workshops. A celebração desta data é na realidade uma celebração da vida, da vida de quem se dedica e trabalha muito para levar comida à mesa de milhões de brasileiros. Um momento para refletir sobre os rumos da agricultura familiar e sobre o futuro de um setor fundamental para a sobrevivência de um país inteiro.