capaa

Empresa de gerenciamento apresenta alternativa para destinação correta de resíduos das fazendas

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Representante da empresa Amazon Ekos – especializada em gerenciamento de resíduos, Auro Albuquerque esteve presente no Encontro Anual do Programa Gente Que Produz e Preserva, desenvolvido pelo CAT Sorriso, para apresentar aos produtores rurais uma alternativa para o gerenciamento e a destinação de resíduos produzidos nas fazendas. A destinação correta e documentada desses resíduos tem sido um grande gargalo dentro das propriedades e que também é uma das exigências para a certificação das fazendas pelo padrão RTRS.

Mas, como o produtor pode fazer isso de forma correta? Para isso, é necessário verificar a parte documental e licença de quem faz esse gerenciamento, se a empresa possui essa autorização. A Lei 12.305 sobre a Política Nacional de Gerenciamento de Resíduos apresenta uma ordem de prioridades desse gerenciamento: “o primeiro ponto é não gerar resíduos (o que é praticamente impossível); o segundo ponto é reduzir ao máximo a geração de resíduo, na sequência promover a reutilização, o quinto ponto é fazer o tratamento e por último, realizar a disposição final em um Aterro Sanitário licenciado pelo Ibama”.

Existe uma classificação dos resíduos em classes 1 e 2. Os da classe 2 são os reagentes e não-reagentes, já os da classe 1 são os resíduos perigosos que oferecem risco, e que há maior dificuldade para a destinação correta. “Nesse último caso, o coprocessamento seria a melhor opção. O coprocessamento consiste na destruição desse material em um forno de indústria cimenteira em função da alta temperatura, do tempo de permanência dos gases e do monitoramento de filtro das saídas das chaminés. O que sobra desse resíduo, ou seja, as cinzas, isso é incorporado na matéria prima para fabricar o cimento”.

A Amazon Ekos tem a permissão e licença para fazer a coleta, o transporte, armazenamento e a blindagem de resíduos. “Temos uma parceria com a Votorantim Cimentos S/A. A Votorantim tem uma de suas unidades na Estrada da Guia em Cuiabá. Levamos o material pra lá porque eles têm a licença para fazer essa destruição, de modo que é emitido um certificado de destinação final, reconhecendo a eliminação completa daquele resíduo que uma vez existiu e não existe mais”.

Palestra