fbpx
normal_Aprendendo_a_reciclar__6_

Novo projeto do CAT vai incentiva a separação do lixo e coleta seletiva nas escolas

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Com objetivo de orientar as crianças  desde pequenas a darem o destino correto aos resíduos sólidos produzidos em casa, diminuindo a poluição ambiental e melhorando a qualidade de vida, o CAT – Clube Amigos da Terra deu inicio a um novo projeto, que ganhou o nome do próprio clube: Projeto Amigos da Terra “Aprendendo a Reciclar”.

Inicialmente esse projeto está sendo implantado em quatro escolas: Escola Municipal Francisco Donizetti, Escola Municipal Ivete Lourdes Arenhardt, Escola Municipal Aureliano Pereira da Silva e na Escola Municipal Primavera. Todas as turmas serão contempladas, do pré ao 9º ano, nos períodos matutino e vespertino.

A bióloga do CAT, Jussara Giaretta, é quem está conduzindo o trabalho, e com uma linguagem adaptada a cada idade, está explicando para os estudantes, a problemática da destinação inadequada dos resíduos sólidos e da degradação ambiental, a importância da reciclagem no meio em que vivemos e também de que forma é feito esse processo de transformação dos resíduos em novos produtos. Dessa forma, os alunos estão se sensibilizando a começar fazer a diferença mudando seus hábitos, e separando os resíduos em casa. “Toda segunda feira eles poderão levar esse material para a escola, onde daremos destino correto, preservando desta forma o meio ambiente.”, explicou a bióloga.

Os  materiais coletados são:  plástico, como garrafa pet, embalagens de produtos alimentícios, de higiene e limpeza, sacolas de mercado entre outros tipos de plásticos;  e também materiais de alumínio, como latas de cerveja, suco, energético  e refrigerante. “Os professores e funcionários das escolas também estão sendo incentivados a levar os materiais, para dar exemplo aos alunos. Todos são orientados a lavar as embalagens em casa, e levá-las para a escola limpas, a fim de evitarmos a proliferação de insetos.

Segundo Jussara, esse material arrecadado será vendido semanalmente as empresas que farão a pesagem, triagem e prensagem. E posteriormente será comercializado a empresas recicladoras do país. O dinheiro obtido através da venda dos materiais será revertido em atividades recreativas para os próprios alunos, como forma de incentivá-los a levar mais materiais para a escola.

Todo o material coletado será anotado em planilhas. “Dessa forma saberemos quanto material teve o destino ambientalmente correto, diminuindo assim a poluição do solo, das águas e os focos do mosquito da dengue, melhorando a limpeza da cidade e a qualidade de vida das pessoas.

É importante destacar que esses materiais voltam a ser matéria prima para a produção de novos produtos, preservando desta forma os recursos naturais e energéticos fatores fundamentais para o desenvolvimento sustentável.  “As garrafas pet, por exemplo, depois de processadas, podem ser utilizadas para produção de novas garrafas, ou para confecção de camisetas de algodão sintético.” 

Além de incentivar a separação e a coleta seletiva entre os alunos, a bióloga do CAT também vai trabalhar a gestão dos resíduos dentro da escola através de oficinas com as cozinheiras e zeladoras. O projeto, que será desenvolvido até junho de 2015, conta com apoio da Agro Baggio, Secretaria Municipal de Educação  e Recicla Sorriso.